23.5.17

crianças x2 (e tudo em mau)

Acordei com a notícia de um atentado terrorista em Manchester. Um cobarde homem bomba fez-se explodir num local onde pais esperavam pelas filhas (a maioria do público era feminina) que tinham ido ver um concerto de Ariana Grande. A vida de algumas pessoas, entre elas crianças que tinham ido ver alguém que admiram, acabou ali.

Compreendo poucas guerras. E em nenhuma delas aceito crianças como baixas aceitáveis. Quer seja num ataque de um homem bomba ou nrum ataque de um drone. As crianças não são, nem devem ser, arma de arremesso do que quer que seja.

Num outro registo, algumas pessoas decidiram gozar com a filha de Eduardo Beauté. Tudo por causa da roupa com que foi aos Globos de Ouro. Pouco me importa se a menina foi ou não bem vestida - e aos meus olhos foi mal vestida, mas de moda nada percebo - mas é apenas uma menina. Que não é figura pública. E que tem sido alvo de comentários muito feios por parte de pessoas que podiam escolher outros alvos.

É apenas uma menina. Igual a tantas outras Marias com as quais ninguém goza. Hoje ouvi isto: "é preta e filha adoptiva de um paneleiro. Se fosse branca, loura, filha de alguém mais importante e estivesse vestida de princesa já ninguém gozava".

Não sei se será assim. Mas não deve andar muito longe da verdade. Só sei que aquelas crianças não mereciam ser vítimas de uma guerra que não escolheram. Tal como a filha de Beauté não deveria ser vítima de uma guerra estupida que serve para se ter mais uns gostos aqui e ali.

treino para ter o rabo perfeito

A esmagadora maioria das mulheres que vão para o ginásio pedem uma coisa: exercícios para trabalhar os glúteos. Querem ficar com o "rabo perfeito". Os tempos vão passando, as tendências de desporto também se alteram, mas este desejo permanece igual com o passar dos anos. Para quem desconhece os melhores exercícios, e para quem não tem tempo para ir para o ginásio, fica aqui um plano de treinos para ajudar a trabalhar o rabo.

22.5.17

o fenómeno madonna

Não me recordo da última vez em que se falou tanto de Lisboa. E estou a referir-me às constantes notícias desde que Madonna chegou a Lisboa. Recuando um pouco no tempo, talvez encontre paralelo no momento em que Monica Belucci comprou casa em Lisboa. De resto, existem notícias pontuais sobre a cidade. Quase sempre quando a cidade é notícia lá fora. Desde que Madonna chegou até já vi canais com pequenos debates sobre os encantos de Lisboa.

Isto não é uma crítica. Defendo é que tendemos a desvalorizar o que é nosso. Pelo simples facto de que é nosso. É uma realidade diária. Está ali ao lado diariamente. É o mesmo que diversas pessoas falarem de Sintra com encanto quando para mim é ambiente de trabalho diário. Trabalhando em Sintra, não é a primeira opção para um passeio de fim-de-semana. E muitas pessoas pensam o mesmo de Lisboa. Quando têm tempo para passear, fogem daquela realidade diária. Por mais bela que seja.

Não significa que não se goste de Lisboa, uma das mais belas cidades do mundo. Simplesmente está aqui mesmo ao lado. E esta proximidade faz com que os encantos acabem por se desvanecer. Até que chega uma Madonna. E anda a passear por sítios muito bonitos. Que estão aqui mesmo ao lado. E que acabam por ser notícia. E nesse momento é que nos lembramos dos reais encantos com os quais lidamos diariamente e que acabam por ser desvalorizados.

ser pequeno não tem mal nenhum

Somos pequenos! Os portugueses são pequenos. Especialmente aqueles que fazem carreira em Portugal. E não confundir pequenos ausência de talento ou ambição. É o que é! Temos um mercado pequeno em quase todas as áreas. O que faz com que ninguém nos conheça do outro lado da fronteira. Porque não somos um produto que os outros comprem com frequência.

Existem excepções. E Cristiano Ronaldo é a maior de todas. Mas é alguém que fez carreira lá fora. E que acaba por dar reconhecimento ao País de origem. Acontece o mesmo com José Mourinho e numa escala menor passa-se o mesmo com Sara Sampaio, Ricardo Pereira e com mais algumas pessoas. Que foram para fora, acabando por conquistar o seu espaço.

Recordo-de de estar com Diogo Morgado e de lhe perguntarem se tinha receio de que Hollywood se esquecesse de si. "Esquecer? Hollywood nem sabe que existo", respondeu. E esta é a verdade. Reafirmo que ser pequeno e ter noção do seu real tamanho não é sinal de inferioridade. É sinal de sabedoria. De inteligência.

Não podemos ficar ofendidos quando nos recordam disso mesmo. Ou quando gostamos de fingir que olham para nós como gigantes quando na realidade ninguém nos vê! Quando só o nosso reflexo no espelho é que olha para nós com admiração. Somos o que somos. E não é por se tentar vender uma imagem diferente que somos maiores do que o nosso real tamanho.

teste só para génios. és um deles?

21.5.17

no top desde 2004. quem diria...

Vamos recuar até 2004. Nessa altura Portugal "inteiro" tinha uma bandeira ou um cachecol de Portugal na janela/varanda. E a culpa/mérito deste feito foi de Scolari. Na altura Portugal disputava o Euro 2004. E o sonho transformou-se em desilusão em poucas semanas. Ainda hoje recordamos as duas derrotas com a Grécia - uma a abrir a competição, outra a fechar - e dificilmente as iremos esquecer.

Mas 2004 não foi feito apenas de futebol. Também foi feito de música. E todas as pessoas andavam a cantar Yeah! e Burn, ambas de Usher. If I Ain't Got You, de Alicia Keys e This Love dos Maroon 5. E refiro estas músicas porque foram consideradas as melhores daquele ano. Mas mesmo no domínio da música, muito mais foi feito do que estas músicas.

Pode não parecer mas Mr. Brightside, dos The Killers, é de 2004. Ou seja, esta música tem 13 anos. Em tempos partilhei esta música nas redes sociais e disse que passados cem anos ainda seria faladas. Não sei se isso vai acontecer. Aquilo que sei é que este brilhante tema está nos tops desde a data de lançamento. Passados 13 anos, Mr. Brightside continua nos top (britânico). Nunca deixou de estar naquele top. Qual o motivo? Ninguém sabe ao certo. Mas é um feito extraordinário.

Ninguém sabe explicar o motivo da permanência no topo mas ligo isso à magia da música. Uma das coisas que não depende da velocidade alucinante da vida hoje em dia. A qualidade não está associada ao imediato. Não depende disso. E basta recordar alguns exemplos. Como foi o caso do lançamento do primeiro álbum dos Foo Fighters. Que foi arrasado pela crítica. Que mais tarde acabou rendida ao talento do grupo e do disco. Infelizmente nem tudo tem esta possibilidade. De não estar dependente do sucesso imediato. E isso tem a sua piada.

19.5.17

mulher + bolo noiva + ousadia = ???

mulher + bolo noiva + ousadia = ? Ainda estou a tentar perceber o resultado da equação. Se alguém quiser ajudar a decifrar o resultado, agradeço. Será fantasia de alguns homens? Imaginam a noite de núpcias a começar assim?