18.2.13

não gosto de coitadinhos


Uma das coisas que mais me irritam numa conversa é aquilo a que chamo de síndrome do coitadinho, uma arma usada por muitas pessoas numa discussão. As pessoas que sofrem desta maleita são aquelas que transformam algo que foi dito num manancial de coisas negativas que fazem de si a pior pessoa do mundo.

São aquelas pessoas que quando ouvem algo de que não gostam dizem logo: “eu faço tudo mal”, “sou a pior pessoa do mundo”, “nunca faço nada correcto”, “a culpa é minha” e "sou a maior m****", são apenas alguns dos muitos exemplos proferidos por quem sofre deste mal. Isto, para mim, é meio caminho andado para dizer que a conversa termina naquele ponto e posteriormente perder interesse nessa pessoa.

Não aprecio conversar com quem usa este “truque” carregado de dramatismo para tentar o que quer que seja. Gosto de uma boa argumentação. Gosto que me deixem sem palavras mas com factos e argumentos irrefutáveis. Gosto que me façam pensar na melhor forma de rebater aquilo que me foi dito. Por outro lado, detesto rodriguinhos e dramatismos dignos de uma qualquer cena de uma qualquer trama televisiva. Quando isto acontece, coloco a viola no saco e vou tocar para outro lado.

80 comentários:

  1. Cala-te lá...não suporto quase todo o tipo de "coitadinhos",que há de vários géneros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo porque é que as pessoas se valem disso.

      Eliminar
  2. Olha não podia estar mais de acordo. Só não sei se o fazem por falta de auto-estima se para terem pena deles mas por essa via não me levam . Gosto de frontalidade, gosto de ajudar mas auto comiseração não.

    ResponderEliminar
  3. É mesmo,só da vontade de dizer:"Luta pela vida em vez de te fazeres de coitadinho"...

    ResponderEliminar
  4. Olha...vou só dizer que tive um namorado assim. É ex-namorado, btw ;)

    ResponderEliminar
  5. Eu acho que há coitadinhos e coitadinhos, mas esses de que falas têm mesmo de ser pessoas sem auto-estima, para quem a mais sincera observação crítica pode ser dramática. Fazer avançar um diálogo torna-se muito difícil.Resta saber se a pessoa está mesmo num momento de fragilidade...ou se é burra.

    ResponderEliminar
  6. pois... caimos todos a primeira vez......
    aguentamos uma segunda...
    mas por favor...
    eu cá detesto que me digam ...ah coitadinha... é pah...fico possuída...
    coitadinhas sao as galinhas...
    :P
    mas há muita gente que vive assim...e acreditam que realmente são uns coitadinhos....
    enfim
    beijos

    ResponderEliminar
  7. Estou contigo. Detesto a linguagem do coitadinho..começo a espumar por dentro e salta-me a tampa que é um mimo!

    ResponderEliminar
  8. Não há pachorra!!! se fazem tudo mal e blábláblá têm bom remédio: mudem! eu já não aturo esse discurso

    ResponderEliminar
  9. Às vezes não se trata de ser coitadinho ou não. Chega a uma altura em que os argumentos são mais que muitos, que as tentativas de explicação são já demasiadas e o que resta é dizer coisas de género como que ceder para que as coisas possam prosseguir. Algo como "está bem, tu tens razão..." e acaba a discussão ali. Ainda por cima para aquelas pessoas que sofrem do síndrome da desconfiança, às vezes é a única forma de pôr fim à conversa "Pronto, também não é assim. Tens a tua razão."
    Mas compreendo o caso de que falas. Também não gosto de dramatismos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas dar razão a alguém é uma coisa. Agora, querer ser o responsável de todos os males do mundo é irritante.

      Eliminar
  10. O português, por natureza, é um coitadinho e está sempre mal.

    ResponderEliminar
  11. Também me irritam de sobremaneira. Para além disso, acho que as pessoas têm de cultivar a sua auto-estima, e essa atitude parece-me a oposta.

    ResponderEliminar
  12. Caro Homem, tenho uma amiga que sofre desse mal! Por mais que lhe façamos ver que está errada, não consegue deixar de ser coitadinha.
    Acho que é mesmo feitio dela... infelizmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentam abana-la o mais que puderem e esperar que dê resultado.

      Eliminar
  13. Junto-me então ao grupo que não suporta os "coitadinhos". São os que pior fazem assim que voltamos costas...

    ResponderEliminar
  14. Também só me afastam este tipo de discursos quando é para atingir certos fins, é mais uma forma de se ser calculista e não gosto nada desta característica.

    Não conhecia essa expressão "rodriguinhos" :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão. É uma expressão que não uso muito mas que fica bem aqui ;p

      Eliminar
  15. Os que se fazem passar por coitadinhos, não lhes dou nem um segundo de antena.

    ResponderEliminar
  16. Os chamados drama queen; fico "apossuida" por 35 demónios logo!

    ResponderEliminar
  17. Concordo: quando alguém à minha beira começa com essas tretas prefiro dar meia volta para não ser inconveniente xD

    ResponderEliminar
  18. Sabes, esses acham que é fazendo-se de coitadinhos que têm a atenção dos outros. Mas comigo também não resulta. Não alimento essas situações e vou-me logo embora. Até porque a energia dessas pessoas é péssima.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. É sempre tão mais fácil criticar.. já fui dessa opinião, de não suportar quem se faz de "coitadinho", até que um dia a vida deu-me qa volta ao contrário e a minha realidade mudou, passei a sentir-me coitadinha, e que nada fazia sentido. A isso chama-se encarar a vida, diferenciar o bom do mau. Nem sempre estamos bem, e quem disser q nunca se sentiu "coitadinho" é um/a grande mentiroso/a. e preciso ter coragem de assumir e mudar. Criticar é o que toda a gente faz, ser melhor que isso é que tá quieto...!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo onde queres chegar Ana. Mas eu critico e tento corrigir quem assim é. Só que, quando as pessoas não querem mudar, desisto. Se estou a falar com uma pessoa sobre um assunto específico, qual é a necessidade da pessoa se culpar de todo o mal existente no planeta? É isso que não compreendo. Sobretudo, porque costuma ter segundas intenções este dramatismo exagerado.

      Eliminar
    2. acho que se tivessemos opçao, a verdade é que todos queriamos ser felizes, e ninguem escolheria ser coitadinho. percebo o teu ponto de vista, mas também sou da opiniao que esses "coitadinhos" precisam de ajuda, e de se levantarem, pq na vida a todos isso nos acontece por vezes.. ja alguma vez perdeste o teu chão? se calhar nao.. mas e muito mais facil se esses coitadinhos receberem um abraço, mesmo que em silencio, do que um " tou farta que dramatizes, a vida e mesmo assim, aguenta-te, se forte e bla bla bla". criticar nao leva a lado nenhum. ninguem tem esse dreito, a vida é unica, para cada um de nós, mas toda a gente o faz. Nao gosto de pessoas que criticam a toa...

      Eliminar
    3. Claro que precisam de ajuda. Mas quando preferem continuar naquele dramatismo em vez de ouvirem o que lhes dizem pouco há a fazer, por maior que seja a nossa vontade de ajudar.

      Criticar quando é o momento é essencial e mal daquele que nada aprende com as críticas (construtivas e correctas) que são feitas.

      Eliminar
    4. Agora estamos de acordo...! *

      Eliminar
  20. Concordo. Também me irritam tremendamente.

    ResponderEliminar
  21. Deus me livre. Temos de acreditar em nós.

    ResponderEliminar
  22. Eh pá...detesto..irritam-me solenemente..e depois ainda me irritam mais, qundo não fazem nada para mudar de atitude. Para se auto-afirmarem, para ganharem confiança, para se elevarem...Haja paciência...Nem 5 minutos do meu tempo lhes dou...Oh dear, se calhar tens razão..Sou MÁ:)))

    ResponderEliminar
  23. Irrita-me tb. Compreendo q toda a gente se possa sentir na fossa e desabafe com as pessoas q lhes são próximas. Totalmente diferente é anunciar ao mundo q somos uma merda e ng nos curte, pq n somos capazes de nd nesta vida. Francamente, haja paciência. Mesmo q o sucesso dos objectivos custe, é continuar a tentar! Eu tb tnh mts frustrações, mas n ando a choramingar para ter a pena de ng, até pq, sejamos realistas, em q é q isso me ia ajudar a mudar o q quer q fosse?!

    ResponderEliminar
  24. Também não gosto de coitadinhos em nenhum dos conceitos que existem. Para mim uma coisa é não ser capaz de e afirmá-lo outra é usar o "tenham pena de mim"....
    Não gosto e nem suporto que me tentem fazer de tal.

    ResponderEliminar
  25. hehehe "coloco a viola no saco e vou tocar para outro lado"
    também sou como tu, não há saco para tanta lamuria, é mais ir a a luta ou fiquem em casa para não chatear o próximo! pffff gentinha essa!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tento ajudar mas não aguento conversar com pessoas que seguem esse registo.

      Eliminar

  26. Vá lá que os leitores deste blog são todos excepções à regra... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora estiveste tão bem... vénia à Rock girl!

      Eliminar
    2. Não creio que os leitores deste blog sejam a excepção a regra, acredito sim que aqui tenham a liberdade de falarem sem pudor! pq o facto de dizer q esta gente é irritante bem significa q não sejam aturados ou ouvidos!
      De qq forma, uma coisa é bem real, seremos sempre rotulados independentemente do que falemos!

      Eliminar
    3. Acho que a Sawabona Shikoba explicou-se bem :)

      Eliminar
  27. Como eu te compreendo...é irritante falar com pessoas assim, dá vontade de lhes bater :P Bom dia!

    http://qaoquadrado.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  28. A autocomiseração afecta realmente muita gente. E por mais que insistas em inaltecer uma série de qualidades nessas pessoas, elas continuam a ver apenas o lado negro da alma. Mudar uma visão de "copo meio vazio" para um "meio cheio" não é pêra-doce. Ainda me dou a esse trabalho. Gosto de pessoas, não, eu amo pessoas. E sou uma teimosa cheia de ilusões :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou como tu até perceber que as pessoas não querem ajuda...

      Eliminar
  29. Quase...
    Há os coitadinhos momentâneos... Que estão a passar por um período mau... mas que passa...
    E há os sempre coitadinhos... Esses ouves e aguentas 1 vez, 2... e a partir daí deixa de haver pachorra... E quando não há escapatória... a única solução é fazer "ouvidos moucos"...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  30. concordo contigo, esse tipo de pessoas são aquelas que não sabem como se defender ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São pessoas que passam uma imagem de alguém sem qualquer confiança.

      Eliminar
  31. à pessoas assim e por muito que tentes, só mudam um pouco, serão sempre "pequenas", mas a culpa não é só delas, a mãe e pai têm e muita culpa, tenho visto casos bem obvios disso...

    ResponderEliminar
  32. Percebo o que queres dizer...a mim irritam-me mais as pessoas que se aproveitam desta ou daquela situação para ter uma desculpa para não fazer ou não ir. Por exemplo, uma doença que apesar de poder condicionar algumas coisas não é impeditiva de ter uma vida normal...há pessoas que se aproveitam da desculpa de dizerem que são doentes para não procurar certos tipos de trabalho ou para não se disponibilizarem para qualquer coisa que poderiam perfeitamente fazer. É um tipo diferente de coitadinhos, mas no fundo são na mesma pessoas sem vontade de progredir na vida.

    ResponderEliminar
  33. Depois ainda se queixam que não há amizades verdadeiras! Podera, todas estas pessoas que ignoram coitadinho, provavelmente estão a ignorar um amigo, alguém que não está bem, alguém que se calhar precisa de ajuda.
    Belos amigos que vocês sairam!
    Com amigos assim, o melhor mesmo é ficar como coitadinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse comentário revela que não leste os comentários com atenção. Eu disse que é importante ajudar mas quem quer ser ajudado e não quem opta pelo dramatismo. E acho que não percebeste essa parte.

      Eliminar
  34. Precisamente nesta sexta feira tive uma acesa discussão com uma pessoa muito importante para mim e que usou essa arma de defesa. Todos a usamos, não vamos ser cínicos - só que uns exageram e usam-na sempre, como o seu único argumento. Não consigo compreender isso, mas há pessoas - e esta é uma delas - que não sabem mesmo discutir. A situação ainda não se resolveu, mas já algumas vezes vi essa pessoa a consultar o teu blogue, depois de eu lho ter mostrado a propósito do teu texto sobre o amor à tua namorada / mulher. Gostava de te pedir autorização para colocar o link deste teu texto no meu blogue, porque não tenho mais forma de lhe fazer ver que não é por eu ser mulher e ele homem, ou por eu ter sempre razão e ele não, que as coisas acontecem. Permites-me?

    Aproveito para dizer que gosto muito da forma como escreves e do que escreves. Gosto particularmente da forma como vês a realidade e analisas o que se passa à tua volta. E, pela minha parte, e por conta do que estas tuas palavras podem já ter feito e vir a fazer por nós, agradeço essas partilhas.

    Fico a aguardar o teu consentimento.
    Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei o comentário e é claro que podes usar. Espero que resulte. Depois conta :)

      Eliminar
  35. Onde escrevi "por eu ter sempre razão" deves ler "por ele considerar que eu acho que eu tenho sempre razão". Desculpa o lapso, pareceu presunção.

    ResponderEliminar
  36. Se interessar, está já lá no meu blogue: http://verde-vermelho.blogspot.pt/2013/02/esta-semana-de-emocoes-em-metaforas-e.html

    A coisa acabou por se esclarecer e, tendo sido ou não à conta das tuas palavras, melhorou bastante. Obrigada e continua sempre a escrever tanto e tão bem no teu blogue. Continuarei a ler as tuas palavras.

    Joana

    ResponderEliminar
  37. Concordo ctg:) Também não gosto dos chamados falsos coitadinhos...que basicamente são aqueles que estão constantemente a solicitar as atenções centradas neles...

    ResponderEliminar